UMA BREVE ANTOLOGIA NACIONAL (DE GRANDES BRASILEIROS)

Share on facebook
Share on twitter
Share on linkedin
Share on whatsapp
Share on telegram

Compartilhe este artigo!

(Artigo em favor da semana da pátria, publicado no jornal virtual acionista: www.acionista.com.br )

Prof. Rodrigo Antonio Chaves da Silva

Como esquecer dos maiores autores da política, e da ciência nacional, os maiores oradores, os que escreveram discursos notáveis, que estruturaram muito bem, o auge da gramática brasileira e dos realces nacionais, da República, como Manfredo Leite, Frei Francisco de Monte Alverne, Nilo Peçanha, Dom Romualdo Antônio de Souza, Ramiz Galvão, Tobias Berreto de Menezes, João Neves de Fontoura, Octávio Mangabeira, Epitácio Pessoa, Armando de Salles Oliveira, Aloysio de Castro, Olavo Bilac, e outros mais.

Esses autores foram os maiores oradores que conhecemos até em relação aos dias atuais, personalidades que defenderam os princípios, a tradição, a cultura, e a evolução da sociedade por meio da ordem e do progresso.

Era o tempo em que os autores maiores da língua portuguesa ou da tradição brasileira eram religiosos e padres.

É o caso por exemplo do monsenhor Manfredo Leite um grande orador, e defensor das letras, da doutrina do Papa Pio X. Era um escritor de estilo, um grande intelectual, uma pessoa de grande sensibilidade em suas palavras.

Frei Francisco do Monte Alverne era um grande religioso, poeta e defensor também dos princípios sociais e cristãos, pois, toda a nossa sociedade assim se fez, com a base cristã, aristotélica, platônica, tomasiana, principalmente.

Nilo Peçanha foi um político republicano, nasceu no Rio, foi governador do mesmo Estado em 1903, era um administrador inteligente e firme. Foi eleito também vice presidente em 1905, assumiu a presidência em 1909 após a morte de Afonso Pena, faleceu em 1922. Foi um orador nato, o qual das suas orações se destaca seu discurso no Espírito Santo, na sua campanha, em 1921.

Dom Romualdo Antônio de Souza, foi um bispo católico, defensor da liberdade dos escravos, dos direitos humanos e um homem republicano. Era um dos grandes oradores nacionais, ainda no século XIX. Além de religioso, era homem político quando se podia proceder às duas funções.

Ramiz Galvão, ou Benjamin Franklin, gaúcho, homem dotado de grande energia para o trabalho, conseguia produzir suas funções e ainda suas orações com maestria, era um dos homens mais ilustres, não apenas do império, mas principalmente da República. Filólogo. Escritor de história e geografia. Foi diretor da biblioteca do Rio de Janeiro. Foi Catedrático da Faculdade de Medicina, um grande orador e escritor nacional.

Tobias Barreto de Menezes, sergipano, poeta, crítico literário, compositor musical e orador popular, um homem que influenciou todas as esferas de nossa sociedade, ao mesmo tempo, um talento verdadeiro nos campos do Direito e da Filosofia.

João Neves de Fontoura, gaúcho, advogado, jornalista, literário, grande orador, líder do movimento da aliança liberal, embaixador do Brasil em Cuba (1940), depois em Panamá e Portugal, foi chefe da delegação brasileira de Conferência de Paz em Paris, e membro da Academia Brasileira de Letras. Foi um dos grandes escritores nacionais.

Octávio Mangabeira, um grande político, orador eloquente, escritor, e jornalista. Nasceu na Bahia. Foi ministro das relações exteriores e na sua época exigiu que se determinasse o português, língua pátria, nas relações diplomáticas. Foi governador de seu Estado. Era um dos grandes literários nacionais e oradores também.

Epitácio Pessoa, bacharel em Direito e professor da faculdade de Direito de Recife. Político. Era paraibano, foi ministro da Justiça, senador pelo seu Estado, foi durante o seu governo que se realizou no Brasil a exposição Internacional (1922). Grande orador e literalista.

Armando de Salles Oliveira, paulista, filho de família tradicional paulistana, formou-se na escola politécnica. Era democrata, grande político, e em seus escritos produziu diversas diretrizes políticas, seu pensamento guiou a muitos. Fundou a Universidade de São Paulo, e introduziu a organização racional do trabalho na administração pública. Era também grande escritor e orador.

Aloysio de Castro, carioca, fez carreira em medicina e na literatura, professor catedrático do Rio de Janeiro, membro honorário de grêmios internacionais, da Academia Brasileira de Letras, o qual fora presidente, era grande autor na sua maior parte de discursos acadêmicos.

Olavo Bilac, carioca, o maior dos poetas nacionais, grande republicano, favorecedor dos valores da pátria, criador do hino à bandeira, de diversos livros a favor do português, e ainda foi grande conferencista. Sempre favoreceu na ideia em favor da instituição do serviço militar para todos os brasileiros.

Há ainda muitos outros autores que poderiam ser citados, aqui mencionamos estes que devem ser sempre lembrados por nós republicanos, patriotas, e brasileiros.