SÃO JORGE (O SANTO GUERREIRO) E A SUA LUTA CONTRA OS DEMÔNIOS E DEUSES DESSE MUNDO

Share on facebook
Share on twitter
Share on linkedin
Share on whatsapp
Share on telegram

Compartilhe este artigo!

Prof. Rodrigo Antonio Chaves da Silva, Congregado Mariano, Contador

 

Nunca o satanismo fora tão forte como nos dias atuais. A idolatria que faz venerar homens, pecadores, pagãos, e objetos como se fossem deuses. O esquecimento de Deus. O satanismo. O ateísmo. A exaltação de ideologias, de partidos, e de “panelas” contra a sociedade. Pessoas sem religião que querem adorar a qualquer coisa. Pessoas que adoram ao diabo, porém, disfarçando-se de pessoas boas. Indivíduos que não seguem religião alguma. Indiferentes. Resiliências a tudo. Adoradores de homens e de vícios… Tudo isso é um tipo de paganismo, de satanismo, que não acrescenta absolutamente nada à sociedade e à vida humana, ao contrário, isso só faz atrasar e prejudicar a todos nós. Sobretudo, urge um retorno à vida dos santos que destruíram este tipo de tendência, como São Jorge.

Embora seja São Jorge alvo de segmentos sincretistas, ocultistas, e até pagãos, a vida deste Santo é nitidamente católica e cristã; ele era um guerreiro contra a idolatria, e contra os deuses deste mundo; lutou e venceu o demônio com muita facilidade, fazendo apenas o SINAL DA CRUZ.

Jorge era um filho de militar, um menino corajoso e amante das coisas supremas, sua mãe uma cristã, com modestas propriedades patrimoniais, tinha o sonho de que o filho pudesse ser cristão (hoje o sonho é que o filho case e tenha dinheiro). Após o falecimento de seu pai, eles vão morar na terra santa. Já jovem era um desejo que recebesse o batismo. Assim o fez, e se tornara cristão numa época que ter a religião era alvo de perseguição como nos dias de hoje.

Diocleciano o colocara como capitão do exército, depois chefe de sua guarda, porém, passara a perseguir os cristãos abertamente. Era um tipo de capricho, de prazer dele ver os cristãos morrendo e matar os cristãos. Era um homem tomado pelo capeta. Porém, a seu braço direito, Jorge, não agradava esta posição.

Jorge já tinha pedido o batismo concomitante a sua entrada no exército (antes de ser promovido já era cristão), e começara a rezar abertamente a Deus pedindo a solução para os cristãos, simultaneamente pedindo a graça da santidade, o dom sobrenatural. Visitava os presos cristãos e os animava a morrer por Cristo.

Nosso Senhor Jesus Cristo lhe concedeu estes dons, junto a isto a graça do martírio.

Jorge herdou grande patrimônio e grandes posses, este foi o primeiro golpe no imperador. O santo mostrou que os bens deste mundo, as honrarias, e as riquezas, não valem nada diante de Deus, ou diante de uma entrega a nível superior, ao nível do alto. Lição para todos nós, especialmente aos corruptos que acham que podem alguma coisa.

De repente o imperador é pego de surpresa, quando Jorge pega TODO O SEU PATRIMÔNIO de herança, e o divide para os pobres cristãos da sua região, e para os mais necessitados. Aquela ação fizera Diocleciano desconfiar de algo, se entristecer e ter um pouco de raiva: “como um meu subordinado, de minha classe de guarda especial, pode favorecer aos cristãos que odeio e quero matar?”. Ele passou a ficar contrariado, começando a criar por dentro um desejo de vingança, embora não sabia que Jorge era cristão abertamente. Ele ainda não tinha lhe falado isto.

Com a pulga atrás da orelha ficara o imperador, esperando que despertasse em si, um pavio de ódio.

Até que numa das torturas a cristãos, vendo o sofrimento de seus irmãos, começando a chorar e a se entristecer, Jorge que os visitava na cadeia e os animava já a morrer por CRISTO, começa a gritar para que não se fizesse aquilo, e publicamente se declara CRISTÃO.

Foi um susto.

Diocleciano que gostava muito dele não aceitou a sua fala, desconversou, fingindo que nada havia, mas Jorge fala alto e em bom som, na cara dele, que era cristão, que não fizesse aquele tipo de coisa contra os seus irmãos. Daí o imperador fica cinza e vermelho, muda a sua fisionomia pelo ódio, saindo daquele ambiente.

Pensando numa forma de castigar e vingar publicamente a Jorge que se declarara cristão e o envergonhara na cara dos outros soldados, Diocleciano começa um plano para matar Jorge ou fazê-lo testemunhar contra Cristo.

Então começam primeiro as perseguições. Publicamente como foi envergonhado pela fala de Jorge dizendo que era cristão e fazendo com que ele voltasse atrás na posição que tinha, sendo ele confundido, porque o homem que lhe era de confiança era o seu “inimigo cristão”, ele o chama diante da horda, do povo, de todos, e fala abertamente que lhe daria muito mais dinheiro, se renunciasse publicamente o cristianismo.

São Jorge não aceitou de maneira alguma.

Ao contrário, ficou mais feliz e muito mais fortemente gritou que não queria renunciar a palavra de Deus, que o verdadeiro Senhor era adorado por ele, e jamais se adoraria aos deuses dos homens, não aceitaria de maneira alguma o batismo pagão, e muito menos a religião do Estado.

Foi aí que começou as torturas, que daríamos para explicar e falar em outro artigo, todavia, aqui apenas a resumiremos, foram tentativas de afogamento, chicotes, pauladas, espancamentos, mortalhas, queimaduras, extração de dentes, e diversos danos, porém para a surpresa de todos, à medida que sofria e sangrava, o seu corpo se curava instantaneamente, não sentia dores, e muitos vendo aquilo começaram a acreditar e a querer serem cristãos, pois, era milagroso e grandioso ver aquelas curas milagrosas.

Diocleciano era confundido e humilhado abertamente, primeiro porque o seu amigo que era chefe da sua guarda era cristão, e ele fora contrariado publicamente, depois ele não renuncia a fé, e agora estava pois invulnerável a todos os tormentos.

Muitos dias duraram as torturas, alguns contam semanas, e nada acontecia com o santo. Num certo dia Jorge resolveu fazer uma disputa com Diocleciano brincando com a falsa religião dele:

____Vamos fazer assim… Quero ir ao vosso templo, o qual vós adorais aos deuses. Quero conhecer os vossos deuses! Para ver se agrado e assim aceite a sua religião.

____Perfeitamente. Pois iremos hoje! (Responde o imperador)

 

O imperador para não perder mais uma, aceita, e toda a turba fora ao templo. Eram milhares de pessoas. Chegando lá, Jorge é colocado no centro do templo, com grilhões, no qual se vê as estátuas dos deuses pagãos, e ainda gregos. Todos pensavam que ele iria adorar aquelas peças de barro. Todavia, ele está de pé diante dos “deuses”. Então, inspirado pelo poder do Espírito Santo de Deus, para todos ouvirem (pois, estava lotado o templo), Jorge pergunta gritando à estátua:

____Eu sou filho do Rei do Universo, seguidor de Nosso Senhor Jesus Cristo, e vos conjuro em nome de Jesus, que digais agora para todos ouvirem: Vós sois deuses? Falem! Falem alto!

 

A estátua do meio, a mais alta, o “deus” mais venerado por eles, fala alto:

____Não! Não somos deuses!

 

Todos se assustam, e enchem-se de pavor. Jorge então grita:

____Em nome do Deus do Universo digais, porque estais então como deuses? Neste templo? Digam bem alto!

 

As estátuas agora falam numa só voz em conjunto:

____Nós não somos deuses, somos demônios, estamos aqui para enganar o homem, e fazermos que eles caiam em idolatria. Aqui enganamos a todos e fazemos todos irem ao inferno e à perdição!

 

O público se assusta mais.

Então o santo, Fazendo o sinal da cruz levemente, grita forte inspirado pelo Santo Espírito:

____Pois eu vos conjuro em nome do Deus do universo, do Deus da cruz, em nome de Nosso Senhor Jesus Cristo, que saiais daqui agora e deixais de enganar os homens!

 

Imediatamente as estátuas começam a se destruir e a desfalecer se tornando farelo de gesso. À medida que derretem ou se transformam em pó saem gritos horríveis, fedor de enxofre, sensação tenebrosa, além de grande medo entre os espectadores.

O público delira, se assusta, e quase sofre desmaios ao ver aquele espetáculo de milagre, exorcismo, e poder de Deus.

Sem dúvida, São Jorge praticara um exorcismo, uma ordem de expulsão do demônio, não de uma possessão, mas de uma infestação, que é quando ambientes estão dominados pelo inimigo.

E fazendo simplesmente o SINAL DA CRUZ!

Quantos sacramentos recebemos, não damos valor, e não aceitamos o poder de Deus? Realmente foi um grande milagre. Apenas com um sinal da cruz, que é uma das orações mais fortes, vencera centenas de demônios com o poder de Deus! São Jorge não cometia pecados mortais nem veniais, não se confessava porque não precisava, evitava o mal, fazendo com que tivesse realmente a graça santificante. Era abençoado pelo Altíssimo. Ele só TINHA O BATISMO! Veja que glória!

Aquele espaventar faz com que muitos soldados, senão a maioria, acabassem se convertendo imediatamente ao cristianismo, por assombro, e por espanto, o que deixara o imperador após tal milagre, muito mais humilhado e mais irado. Até a esposa de Diocleciano morreu pela fé, recebendo o batismo de sangue. Os cristãos se tornaram muito mais numerosos, não conseguindo serem eliminados pelo poder do Estado. Diocleciano se veria frustrado nos próximos anos, porque a vitória fora da religião de Cristo.

Contudo, naquele instante, mesmo vendo os fatos, não acredita e fica mais nervoso, mandando que decapitassem a Jorge.

Era o dia 23 de Abril de 303, sendo pois, um dos últimos mártires junto com São Brás e outros. Depois por volta de 325, o cristianismo passa a ser a religião oficial.

Jorge nasce no céu, e converte toda uma legião romana a Jesus Cristo, fazendo com que o imperador fosse mais confundido, sendo o grande santo exorcista, padroeiro contra os demônios, defensor da fé, e do Senhor. Depois do seu martírio converte uma multidão, e os cristãos começam a aumentar gradativamente, acreditando no nome de Jesus, e no único Deus Rei do Universo.

São Jorge, padroeiro e guerreiro contra os demônios, rogai por nós!