ELE ESTAVA SENTADO NO MEIO DOS MESTRES E DOUTORES

Share on facebook
Share on twitter
Share on linkedin
Share on whatsapp
Share on telegram

Compartilhe este artigo!

Uma das páginas mais lindas do Evangelho segundo São Lucas é a perda do menino Jesus no templo.

Seu nascimento foi anunciado por uma visão que a Santíssima Virgem teve com o anjo Gabriel, ela aceitou ser mãe do messias, mas não entendia quase nada.
São José queria renunciá-la visto que estava grávida, mas resolveu assumi-la depois de ter tido sonhos diversos sobre a origem de sua  gravidez, proveniente do Espírito Santo.
Desde então, a vida daquele menino que era o Verbo, palavra de Deus, logos de Deus, razão de Deus, igual a Deus desde toda a eternidade, mas agora encarnado na história, seria toda diferente e toda especial.
As coisas foram acontecendo na vida da Santíssima Virgem e de São José, e eles não entendiam muita coisa.
No nascimento foram visitados pelos reis magos e por pastores, e todos anunciavam o futuro do menino.
Eles não entendiam nada, mas Maria guardava essas coisas em seu coração.
No templo também Simeão faz um profecia, ela não entendeu nada.
E agora no templo.
Os teólogos teorizam que na verdade Jesus como Deus já sabia tudo, como homem apenas externava a sua divindade, o verbo é o logos, a razão, o discurso, a sabedoria viva a própria sophia, não precisava estudar para aprender.
Ao se perder no templo, a Santíssima Virgem não sabia o que fazer, ficar sem Jesus sempre é muito ruim, ainda mais sendo ela a sua mãe, e São José seu pai emprestado também não sabia o que fazer.
Voltaram um dia de viagem, ficaram outros três estudando uma forma de encontrá-lo.
O acharam por acaso.
Mas no templo. E não na rua fazendo arruaças. Encontraram-no em um lugar de oração. No lugar maior, o centro da religiosidade do mundo.
Com quem Jesus estava conversando? COM MESTRE E DOUTORES.
Já com doze anos sabia mais que os maiores níveis acadêmicos da época.
O evangelho atesta que eles ficaram abismados com a SABEDORIA DE SUAS PERGUNTAS E RESPOSTAS.
Ele perguntava e respondia, esse é o método supremo da filosofia, mas ele é a própria sabedoria.
Aplicava o método filosófico supremo, criado por ele mesmo desde toda a eternidade para que os homens amassem a Ele o saber puro.
Os seus pais não ENTENDERAM NADA, mas viam aquilo abismados: “meu filho está discutindo com os maiores nomes da ciência judaica, como?”.
Na verdade diante deste mistério que um menino tudo sabe, e não fez estudos, o questionamento dos homens sempre é por quê alguém sem títulos tudo sabe? Esta pergunta perseguiu Jesus e foi um dos motivos de sua morte, pois o entregaram POR INVEJA.
ELE TUDO SABIA SEM TÍTULOS.
Jesus nunca quis se formalizar nos estudos, porque nunca precisou. Não quis glórias, poder, honras, tronos, e nem lideranças políticas (como é confundido até hoje). O que o Senhor do mundo precisa sendo que TUDO É DELE? Ele criou tudo.
QUEM JÁ SABE NÃO É NECESSÁRIO FORMALIDADES, PORQUE TEM O ESSENCIAL.
A sua sabedoria HIPOSTÁTICA não precisava de estudos, ele é o próprio saber.
Mais uma vez percebemos quantas pessoas são julgadas não pelos conteúdos mas pelos problemas de títulos. Sabemos que a sabedoria depende do esforço humano e da sabedoria e não necessariamente do grau formal de papéis que tiramos.
Na verdade o saber se obtém quando estamos perto de Deus o resto é verbalização e tentativas.
Quem está perto de Deus e rende glórias a Ele tudo consegue no campo do conhecimento.
A sabedoria maior está em reconhecer a Deus e amá-lo como pai.
Durante toda vida, o filho do homem foi perseguido pelos Doutores da lei que nada sabiam, e tropeçavam com as palavras.
Eles não resistiam àquele homem que lhes lia os corações.
Aos doze anos mostrou que a ciência humana nada serve, pois a sua sabedoria estava muito além do meras formalidades.
E seus pais nada entenderam mas continuaram perto do menino e perto de Deus, aceitando o MISTÉRIO.
Este mistério prevalece e se repete nos dias hoje.
É uma palavra maravilhosa a se meditar nos dias atuais, e em épocas propícias como a semana santa.